O site está indisponível

A nossa rede de distribuição não chega ao Internet Explorer.

Aceda com: Google Chrome, Microsoft Edge, Mozilla Firefox ou Safari.

confirmar

Perguntas Frequentes

Como podemos ajudar?

voltar

Os novos gases são mais caros? Qual o impacto na fatura ao fim do mês? Como a posso calcular?

No contexto regulatório atual, não é possível calcular o impacto direto na fatura dos contribuintes com a injeção de gases renováveis no sistema energético. Contudo, em julho de 2020 a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), publicou no parecer* “A subsidiação dos custos de produção de gases descarbonizados através de transferências do Fundo Ambiental ou outro externo ao setor é essencial para evitar o impacte sobre os custos de fornecimento de gás a clientes finais (…) Este tipo de custos, externos ao fornecimento do gás aos clientes finais, pode concorrer em desfavor da sustentabilidade económica das infraestruturas de alta pressão e de distribuição do setor do gás natural. A ERSE considera que custos dessa natureza deverão ser recuperados fora do contexto tarifário.”

De acordo com a Estratégia Nacional para Hidrogénio (EN-H2), os apoios públicos rondarão os 900 milhões ao longo de 10 anos, dos quais 500 milhões através do Fundo Ambiental. Dos fundos comunitários conta-se com 40 milhões do POSEUR e 360 milhões do Portugal 20-30.

* Parecer: Projeto de diploma que estabelece a organização e o funcionamento do Sistema Nacional de Gás (SNG), permitindo a injeção de outros gases na Rede Nacional de Gás.

Perguntas frequentes relacionadas

  • Qual o impacto ecológico da inclusão de biometano e/ou hidrogénio no gás fornecido aos clientes?

  • Que outro tipo de energia a Portgás poderá distribuir?

  • Como e onde poderá ser feita a produção de hidrogénio?

  • Como poderá ser feita a produção de biometano?